O que se espera da TI ?

Pode-se dizer que a primeira década do novo século já transformou o mundo, tal qual o conhecíamos no século XX. Devemos, entretanto, estar preparados para muito mais, na medida em que a aceleração da alta tecnologia poderá nos conduzir mais longe e mais rapidamente. Neste contexto algumas projeções difundidas no mercado podem ser perfeitamente consideradas:

  • As mudanças do novo século afetam todos os aspectos dos negócios: usuários finais, hardware, software, fornecedores de equipamentos e serviços.
  • A Velha Globalização foi o “Trabalho barato’ e a Nova Globalização é o “Conhecimento”.
  • A Venda/Perda da vantagem do conhecimento com lucros de curto-prazo será o calcanhar de Aquiles do Capitalismo.
  • O conhecimento é poder e os líderes tradicionais estão perdendo vantagem em muitas tecnologias-chave.
  • A Internet torna a localização física irrelevante, disponibilizando pessoas treinadas e espalhando o conhecimento.
  • Quem puder produzir produtos e materiais mais baratos, mais rápido e melhor – Vencerá.
  • O recurso-chave é o “Conhecimento”.
  • Sensores baratos estarão presentes em tudo, provendo sensoriamento, comunicação e controle entre máquinas (M2M).
  • Os “Smartphones” irão fazer mais e mais, com ativação por voz e monitores de alta resolução na forma de óculos.
  • Displays virtuais serão capazes de nos colocar em um ambiente de realidade virtual em 3D de imersão total. Iremos assistir a filmes virtualmente e ler livros virtuais. Muitas de nossas reuniões pessoais e empresariais terão lugar em mundos virtuais em 3D.
  • Essas previsões representam desafios difíceis para a engenharia e alguns necessitarão de grandes avanços científicos em materiais sintéticos ou geneticamente modificados. A aceleração das tecnologias, porém, mudará as “regras do jogo”.
  • Se isso não durar uma década, poderá durar duas, mas há muito poucas dúvidas de que a tecnologia fará com que esses sonhos se tornem realidade.

Como ponto de partida para este cenário projetado, cabe responder a uma questão genérica: “O que qualquer empresa espera hoje da TI ?”

  • Alinhamento Estratégico.
  • Capacidade de Mudança.
  • Projetos gerenciados.
  • Qualidade de Serviços e Sistemas.
  • Menor Risco.
  • Menor Custo.

Considerando não só as tendências indicadas pelos estudos e pesquisas, mas, principalmente, uma escuta mais próxima do mercado, percebe-se a necessidade de se buscar uma TI mais profissionalizada e atenta a inovações, mas, por outro lado, mais simples e pragmática.

Assim, as iniciativas que se espera da TI nos dias de hoje podem ser caracterizadas em dois grandes segmentos de atuação distintos, representados no diagrama abaixo:

  • Gestão de Serviços de TI: a boa Gestão dos Serviços e operações de todo ambiente (sistemas, hardware, software, redes, etc.) que suporta aos “Projetos Essenciais de TI” é fundamental para proporcionar o máximo de eficiência e aproveitamento dos investimentos.
  • Alavancagem Estratégica: a TI deve, porém, também investir tempo e recursos em projetos que propiciem o aprimoramento dos processos-chave do negócio, incorporando inovação, de modo a criar alavancagem estratégica e aumentar a vantagem competitiva.

As principais referências de TI indicam a necessidade do apoio da TI para a otimização de processos que realmente agreguem valor aos negócios e para uma Gestão de Serviços eficiente e com custos adequados.

Acontece que, de modo geral, constata-se que as organizações de TI têm permanecido focadas somente nos chamados “Projetos Essenciais de TI”, deixando de lado as imensas oportunidades geradas por projetos baseados na “Alavancagem Estratégica” que resultam em Inovação e Diferenciação.

 Quadrante TI

 O que se espera minimamente da TI para alcançar novos posicionamentos e práticas que configuram aquilo que se espera, no curto e médio prazo as ações referentes à Gestão de TI e Tecnologia deverão se nortear por:

Gestão de TI:

  •  Alinhar a TI à realidade e expectativa da empresa, obtendo direcionamento corporativo, detalhando o alinhamento obtido num Planejamento de TI.
  •  Aplicar o Retorno do Investimento para projetos relevantes, como fator essencial de medição da eficácia de TI.
  •  Consolidar a Governança de TI.
  •  Pensar mais estrategicamente e desenvolver uma postura mais pró-ativa e arrojada na análise e sugestão de ferramentas, práticas de gestão e tecnologias voltadas à inovação aplicada ao negócio, antecipando as suas necessidades.
  • Alertar permanentemente a empresa sobre as oportunidades representadas por boas e reais tendências tecnológicas, buscando projetos objetivos que beneficiem os seus processos-chave.
  • Implementar a Gestão de Relacionamento – Interna e Externa, a partir de uma Estrutura Funcional e um Modelo de Atendimento adaptados a tal modelo.
  • Ouvir e atender, permanentemente, os clientes internos da TI, otimizando o fluxo de atendimento, bem como simplificando e flexibilizando as soluções técnicas necessárias.
  • Projetar novas estruturas funcionais, processos internos e ações de comunicação voltadas ao bom atendimento dos usuários da TI.
  • Criar alternativas para convivência com a crise instalada na mão-de-obra especializada.
  • Terceirizar ou adotar o Outsourcing para as atividades baseadas em commodities.
  • Consolidar a Gestão de Serviços, organizando e otimizando os processos internos de TI com base em metodologias e práticas consagradas pelo mercado – ITIL / Cobit / PMI.
  • Estabelecer e divulgar os Portfólios de Sistemas e Serviços.
  • Consolidar a Gestão de Projetos estruturada em PMO.
  • Reavaliar e melhorar a gestão dos fornecedores de TI, buscando alternativas mais econômicas e modernas.

Tecnologia – Sistemas e Infra-estrutura:

  • Definir previamente as arquiteturas-alvo para nortear a utilização de tecnologias para adoção de novos Sistemas, Serviços e Segurança da Informação.
  • Focar obrigatoriamente as novas tecnologias, sistemas e projetos na otimização dos Processos do Negócio e/ou na redução de custos, inclusive os da própria TI.
  • Obter máximo aproveitamento dos patrimônios existentes: Sistemas – Aplicativos do negócio ou desenvolvimentos próprios, Infra-estrutura e o conhecimento da equipe de TI.
  • Investir na integração de sistemas a partir de plataformas na filosofia SOA.
  • Adotar ferramentas de BPMS (Business Process Management System) nos Processos do Negócio, incluindo a própria TI.
  • Flexibilizar as soluções de TI, promovendo um melhor alinhamento às necessidades e expectativas de prazos dos Clientes.
  • Criar oportunidades para a Inovação com o uso conjugado de TI e/ou Automação aplicadas a processos-chave.
  • Priorizar as soluções de BI – Business Intelligence. Socializar o BI, ampliando o apoio efetivo à Tomada de Decisão em todas as camadas do negócio.
  • Priorizar as soluções de Colaboração Corporativa e Plataformas de negócios baseadas na WEB – Intranets, Portais de Serviços internos e digitalização da cadeia de valor através de Portais de Relacionamento e Negócios.
  • Buscar ampliar o desenvolvimento de soluções baseadas em Mobilidade.
  • Disponibilizar permanentemente uma infra-estrutura tecnológica que garanta desempenho, disponibilidade, escalabilidade e segurança.
  • Prevenir e contingenciar quaisquer vulnerabilidades operacionais.
  • Manter-se permanentemente atento e atualizado nas questões relacionadas à Segurança da Informação.

Atendida esta “cartilha” esteja certo de que você está fazendo uma TI correta. A partir daí, e somente a partir daí, comece a pensar no futuro que se desenha.

 

Tagged on: , ,